Eu Confesso: Tenho Medo!

“… Fique perto / Fique perto de mim …”

Tu me perguntas se eu já me apaixonei?

Ah, sem dúvida. Desde aquelas paixonitezinhas de trocar cartinhas às paixões mais maduras e paixões mais platônicas. Quem nunca se apaixonou, né? Não vou dizer que foram várias vezes, mas eu lembro de algumas em especial. As mais engraçadas de relembrar, no entanto, são as paixões platônicas. Qualquer olhada mais longa, qualquer sorriso ou aperto de mão é motivo para um leve ataque cardíaco.

Então, sim, já me apaixonei. No entando, uma vez, somente uma vez, eu resolvi me entregar ao amor de corpo e alma. E justamente nessa vez eu tive o meu coração partido, dilacerado e deixado de lado. Justamente quando decidi dar uma chance pro amor e parar de enrolá-lo, o desgraçado me passa a perna.

Eu fiquei muito magoada e, com o perdão do clichê, de coração partido. Eu estava desiludida, tinha sido engana e estava sempre triste. Eu não falava com as pessoas direito e chorava quase todas as noites. Eu não tinha paciência para alimentar nem os meus sonhos nem os sonhos dos outros de encontrar o amor nessa vida bandida na qual vivemos. Virei amarga.

Sim, amarga é a palavra certa, pois nem eu me aguentava. Eu parecia aquela velha rabugenta e solitária que ninguém do bairro gosta e da qual as criancinhas têm medo. Eu queria fugir desse negativismo, sair desse lugar, mudar de nome e recomeçar a minha vida do zero. Novo lugar, novas pessoas, novas experiências. Eu queria recomeçar e esquecer da dor que assolava constantemente a minha mente e peito. Eu tinha perdido a confiança nos homens.

Aí tu surgiste com toda essa pompa e auto-estima, tentando reacender a centelha de esperança nos homens que jazia dentro de mim quase morta. No início, eu não te deixei. Eu não queria. Vocês, homens, não mereciam, mas tu não desististe. Continuaste batendo na mesma tecla até que eu cedi. Encontro-me nessa situação desperadora de amor novamente, morrendo de medo. É, medo!

Eu tenho medo de ser descartável pra ti, como um cílio que cai e fica sob esses teus redondos e enormes olhos verdes – mas que tu dizes serem cor de avelã – e que tu pegas, colocas na ponta do dedo e, descuidadosamente, sopras ao vento, pois outros virão e aquele não te fará falta. E apesar de tu declarares aos quatro cantos do mundo para quem quiser ouvir que tu me amas, eu tenho medo que tu talvez encontres outra pessoa durante a minha ausência.

Eu não sei o porque de eu gostar tanto assim de ti e eu não entendo o que os outros tem a ver com isso e quando a noite chega e eu me questiono esses inúmeros porquês, eu não preciso de resposta nenhuma: iT JuST FeeLS RiGHT. YoU FeEl rIghT!

Anúncios

2 comentários sobre “Eu Confesso: Tenho Medo!

  1. awww…q catito…you are so in love… q inveja!!! Eu to desiludida tbm!!!! Quero alguém de olhos grandes e Azuis pra mim!!! Os verdes eu dispenso…ahahahahaha… XP

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s