Rir é o melhor remédio, quando se consegue fazê-lo!

Nunca pensei que sorrir fosse difícil. Até porque, para mim, nunca foi!

Quem me conhece sabe que eu estou sempre alegre, sorrindo, cantando, por vezes enchendo o saco, mas nunca parada. Se algo me aflige, eu consigo contornar isso ou pelo menos fingir que está tudo bem. Mas fazer isso é tão mais difícil quando se está completamente magoada.

É difícil sorrir quando sente um vazio por dentro como se alguém tivesse feito um buraco no peito e arrancado seu coração.

Mas é fácil sorrir quando vemos a pureza nas brincadeiras de uma criança.

É difícil sorrir quando tudo parece perdido, sem chance de um novo começo ou de perdão.

Mas é fácil sorrir quando não estamos sós e alguém nos estende a mão.

É difícil sorrir quando se perde alguém. É difícil sorrir quando se machuca alguém. É difícil sorrir quando esse alguém nos machuca também.

Mas é fácil sorrir quando perdoamos e somos perdoados sinceramente.

É difícil sorrir quando o cansaço do dia começa a fazer a cabeça doer e as pernas tremerem.

Mas é fácil sorrir ao chegar em casa e sentir o amor que há naquele lugar, mesmo que seja implícito, discreto.


Há algumas semana eu escrevi um poema chamado MASK/CONFUSION. Uma parte dele expressa exatamente o que eu escrevi. Ele é meio ‘dark and twisted’ (sombrio e confuso), mas foi desabafo bem legal de fazer.
Esse poema fala sobre omitirmos quem realmente somos ou o que realmente sentimos ou o que queremos sentir.

MASK/CONFUSION

“Everyone wears masks
There are those to hide revenge
There are those to desguise the pain
There are those hide happiness
There are those that make us tougher
There are those to hide desire

I have this mask I’ve been wearing for all my life
It’s a happiness and character mask
It makes me look happy when I want to cry
It shows the image of a perfect girl
It makes me look happy when I want to give up
It makes me look better after a breakup

Why do I have to mask my true feelings?
Why do I have to smile when I want to cry?
Why do I have to feel all this pain inside?
Why do I have to be miss damn congeniality?
Why can’t I be me?
Why is this the way things have to be?

It’s hard smiling when I’m dying on the inside
It’s hard being among several people without them knowing
what’s really going on with me
It’s hard always having people think I am okay

Because of these masks
People don’t  know how you feel
Because of these masks
People don’t know you need help
Because of these masks.
All because of a mask.

I’m a loving daughter
I’m a good friend
I listen to everybody’s problems
I put them on my knees
I take care of everybody
But whose going to take care of me?

I want to break free
I want to be me
I want to get rid of this pain
I want to go insane
I want to relinquish all good in me
I want, for once, do things without caring
I want, for once, do things my way

I wanted you
But because of my mask
You’ll never know how much”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s